26 C
Manaus
6 de julho de 2020
Portal Amazonas Digital

Seap inicia ‘Mutirão de Saúde’ no Centro de Detenção Provisório Masculino 2

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) iniciou nesta segunda-feira (29/06), um ‘Mutirão de Saúde’ no Centro de Detenção Provisório Masculino II (CDPM 2), localizado no Km 08 da BR 174 (Manaus-Boa Vista), em parceria com a cogestora Embrasil Serviços. Essa é a segunda campanha de atendimento clínico geral realizado na unidade.

A ação, acompanhada pela Coordenação de Saúde do Sistema Penitenciário do Amazonas (CSSPAM), teve início no pavilhão seis inferior. A finalidade é alcançar toda a massa carcerária para avaliação e identificação das condições físicas e de saúde dos apenados a fim de manter os controles de enfermagem e médico da unidade atualizados.

A coordenadora de saúde da Seap, Alyne Botelho, observa os benefícios da ação. “A Seap tem buscado realizar esses mutirões de saúde de forma periódica, benéficos tanto para o interno, que pode descobrir uma doença preventivamente para tratá-la, quanto para todo o ambiente carcerário, principalmente nesse período com ameaça do novo coronavírus ainda presente na sociedade em geral”.

O atendimento médico, que se estenderá durante toda a semana, consistirá em atendimento clínico para avaliação e encaminhamento para especialistas e ainda, realização de exames fora do ambiente prisional, assim como, a prescrição de medicamentos. Na avaliação com a enfermagem, deverá ser realizado testes rápidos para identificação do vírus da AIDS (HIV), Sífilis, Hepatite B e Hepatite C.

“É muito importante o atendimento clínico geral com os internos, pois nessas consultas, é possível fazer a identificação de problemas para tratamentos futuros e caso seja necessário, o interno poderá ser levado para ser atendido por médicos especialistas fora da unidade e assim, garantir que cada um deles receba um tratamento humanizado e adequado”, declarou o diretor da unidade, Jean Carlo.

O diretor informou ainda que para esta ação, foi formada uma equipe com um médico clínico-geral, uma enfermeira e uma técnica de enfermagem, além de agentes de ressocialização que atuarão nos procedimentos de segurança e movimentação dos reeducandos.